#behuman#fightcorona#dica2

Dicas “mindful” em tempos de adversidade e isolamento:
 
De várias maneiras, o coronavírus mostrou-nos o quão conectados (com os outros e com o mundo ao redor) e o quão vulneráveis podemos ser perante alguns aspectos da vida. Esta perspectiva pode gerar muito sofrimento (ansiedade, stress, tristeza, etc.), e muitas vezes paralisar-nos.
É muito importante então que pratiquemos alguma forma de autocuidado nestes momentos difíceis, para desenvolvermos força e resiliência para seguirmos adiante.
 
Nesta breve “prática de autocuidado” (tecnicamente chamada de “autocompaixão”), que é uma das facetas relacionadas ao mindfulness; especificamente está relacionada ao tipo de atitude que pretendemos desenvolver com a prática regular de atenção plena.
Trata-se de um “antídoto” para a nossa tendência natural de criarmos pensamentos críticos (muitas vezes “autocríticos”) e negativos nestas situações, piorando a sensação de mal-estar e absorvendo a nossa energia para ações assertivas e efetivas para melhorar a situação.
 
Então, em momentos de maior stress ou constrangimento, ou simplesmente para descontrair e “treinar a mente”, experimente seguir estes 3 passos:
 
1) “Parar e Respirar” -> faça uma pequena pausa (pode ser deitado, sentado ou em pé) e feche brevemente os olhos, se possível. Simplesmente observe as duas ou três próximas respirações, deixando a respiração fluir naturalmente, sem mudar nada. Uma maneira simples de observar a respiração é notar os movimentos no abdómen e no peito. “Apenas respire” por algumas respirações.
 
2) “Permitir e Não Forçar” -> é natural que em momentos difíceis sinta sensações e sentimentos desagradáveis, que se manifestam no seu corpo e mente. O convite é que apenas note estas sensações e sentimentos, se possível, localizando no corpo onde estão a emergir. Pode também imaginar que está “a respirar” com o desagradável, sem forçar ou resistir. Parece contraintuitivo mas, muitas vezes, quando tentamos resistir ao desagradável, a resistência acaba por piorar as sensações e sentimentos, tanto no corpo quanto na mente (‘o que resiste, persiste!’). Os músculos contraem e os pensamentos inutilmente produzem preocupações, questionamentos e críticas que não ajudam a resolver a situação. “Permitir, neste caso, não significa desistir; significa que reconhecemos as nossas condições da maneira como elas estão a ocorrer, no momento. Isto possibilita-nos sair da reactividade e dá-nos ferramentas para compreender e lidar melhor com a situação (resposta, em vez de reação).
 
3) “Frases de Autocuidado” -> você pode dizer mentalmente algumas frases de autocuidado, ou frases de “bons votos”, como, por exemplo, “que eu esteja bem”, “que eu esteja feliz”, “que eu esteja em paz”, ou qualquer outra frase que faça sentido para si, e que contenha a mesma ideia de autocuidado. O nosso cérebro, assim como reage a frases e pensamentos negativos, também responde a frases e pensamentos positivos, criando um ambiente de bem-estar, renovando as nossas energias e capacidade de lidar com as situações do dia a dia. Então, ao invés de cairmos na habitual “ruminação mental”, podemos intencionalmente trocar a nossa “voz interna” para algo mais positivo e assertivo.
 
Em resumo, podemos sempre usar estas frases em momentos mais difíceis ou de maior sofrimento (que serão relativamente comuns nestes tempos difíceis do coronavírus), repetindo-as silenciosamente num ritmo confortável, tendo como “pano de fundo” a nossa respiração. Estas frases podem tirar-nos do “modo de ruminação ou autocrítica”, e trazerem-nos mais força e resiliência para o dia a dia.
Como em todas as práticas de atenção plena (mindfulness), esta pausa de autocuidado torna-se mais fácil e efetiva quanto mais praticamos, ou seja, com regularidade. Se ainda não estabeleceu um hábito diário de práticas, talvez seja um bom momento para iniciar.
Veja também a nossa iniciativa mais recente -> https://www.facebook.com/events/1474358109413595/
 
#behuman#fightcorona#mindfulness#autocuidado#washands#stayhome#estamostodosnomesmobarco
 
Obrigado, Marcelo Demarzo! Fonte: https://mindfulnessparaodiadia.blogosfera.uol.com.br/2020/03/18/mindfulness-em-tempos-de-coronavirus-pratica-de-autocuidado/?fbclid=IwAR1ojOg1ufJ29n2Rlt6E1KKZmAIMqyhmu9kALrdruAShPNSzrWBcO7dR87E

#behuman#fightcorona#dica1

Hoje, mais do que nunca, sê humano.
Com autocompaixão, vê a tua própria experiência de sofrimento como parte de uma humanidade comum. E reconhece que todo o mundo sofre.
Contudo, muitas vezes quando lutas ou falhas, sentes que algo está errado e que nunca deveria ter acontecido. Isto gera um sentimento de anormalidade que acaba por ser muito isolador, como se o mundo inteiro estivesse a viver uma vida maravilhosa e feliz, mas tu não.
Em momentos de maior angústia, podes experimentar repetir para ti mesmo, colocando as mãos no coração:

“Este é um momento de sofrimento.
O sofrimento faz parte da vida.
Posso ser gentil comigo agora.
Posso oferecer-me a compaixão de que preciso”

Hoje, mais do que nunca, sê autocompassivo.

#behuman#fightcorona#selfcompassion#washands#stayhome#estamostodosnomesmobarco

Olá a tod@s,
Esperamos que se encontrem bem e segur@s.
Nesta fase de maior adversidade pessoal, familiar e comunitária, impõem-se medidas extraordinárias, salutares e responsáveis, mediante o que é a nossa actuação como serviço de saúde mental. Desta forma, informamos tod@s @s noss@s pacientes e amig@s, que continuamos a trabalhar, tal como dantes, em formato online. Desde 13 de março (6ªf) que @s noss@s pacientes têm sido consultad@s neste formato, sem alterações de dias nem horários. Esta medida temporária, surge como resposta à actual situação que o nosso país atravessa. Caso a caso, decidimos a ferramenta de videoconferência que mais se adequa às necessidades e conhecimentos tecnológicos de cada pessoa, de uma forma célere.
Neste período de maior desafio e necessidade de resiliência, não queremos deixar de “estar lá”, mesmo que à distância, no atendimento às pessoas que nos procuram.
Para @s pacientes que já são atendid@s por nós, a melhor solução online será proposta pelas nossas colaboradoras, atempadamente.
Para as pessoas que nos procuram pela 1ª vez, poderão solicitar os nossos serviços pelos seguintes contactos: http://ricardojoaoteixeira.pt/contacto/
Caso tenham alguma dúvida suplementar, podem pf contactar-nos através do e-mail: psicologo@ricardojoaoteixeira.pt
Na expectativa positiva de que em breve tudo volte à normalidade.
Um abraço compassivo

Nova edição do Programa MBCT (Mindfulness-Based Cognitive Therapy), no REACH -> Abril 2020

NOVA EDIÇÃO do programa de 8 semanas MBCT (Mindfulness-Based Cognitive Therapy, no REACH – Centro de Mindfulness!
Entre 28 de abril e 16 de junho de 2020 (das 10:00h – 12:30h)
Inscrevam-se e partilhem pelos vossos contactos! Obrigado Abraços

O programa MBCT (mindfulness baseado em terapia cognitiva) foi criado para aprender a lidar eficazmente com o stress, estados de ansiedade e depressão de uma forma tolerante e presente. A prática de meditação mindfulness oferece um estado de consciência no momento presente, acolhendo uma atitude de curiosidade perante os pensamentos, emoções e sensações ausentes de crítica ou julgamento. O cultivar desta atitude fornece meios úteis para lidar de uma forma mais eficiente com estados de ansiedade, tristeza, sensações de medo e preocupação e, concretamente, permite estabelecer uma nova relação com estes estados emocionais, criando abertura para a receptividade, paciência, empatia e compaixão.

-> Temas do MBCT:
Sessão 1 – Como desligar o Piloto Automático; Criar um espaço interno e externo para a prática; Para viver a vida: abrandar
Sessão 2 – Respirar a vida; Aprofundar a consciência de si; Lidar com os obstáculos durante a prática
Sessão 3 – Voltar ao presente; Usar os sentidos; Criar um espaço de respirar
Sessão 4 – Estar presente; Reconhecer as emoções difíceis; Abrir novos caminhos
Sessão 5 – Aceitar e largar; Sentar com o que está; Libertar-se de hábitos
Sessão 6 – Os pensamentos não são factos; Estabelecer uma nova relação com os pensamentos; Ver claramente
Sessão 7 – Cuidar de si; Equilíbrio no dia-a-dia; Estabelecer uma nova relação consigo mesmo
Sessão 8 – Viver consciente; Abrir-se à vida; A paz é este passo

-> Datas do programa (à 3ªf, de manhã):

28 abril 2020
5, 12, 19, 26 maio 2020
2, * 9, 16 junho 2020

*mini-retiro (6 de junho, sábado, das 10-16h)

-> HORÁRIO: 10:00h – 12:30h

-> Local: Edifício Mapfre, Rua Gonçalo Cristóvão, 347, Porto (sala 103)

-> O programa será realizado durante 8 sessões, de cerca de 2horas/2h30. Inclui: manual, textos de apoio e material extra.

-> Preço: 250 €

-> A quem pode interessar o programa:
– Pessoas que pretendem aprender a lidar com a presença de estados emocionais tais como o stress, a ansiedade, a depressão e até estados de dor crónica;
– Pessoas que procuram aprofundar a meditação mindfulness como autoconhecimento e desenvolvimento pessoal;
– Pessoas que buscam a melhorias na regulação das suas emoções;
– Pessoas que necessitam de maior rigor na sua prática pessoal;
– Pessoas da área da saúde, ligadas ao ensino, à psicologia, terapias, etc., que pretendam iniciar ou aprofundar uma prática pessoal, mas ao mesmo tempo queiram incluir algumas destas ferramentas na sua prática profissional.

-> Nota Importante:
O programa MBCT pressupõe uma prática pessoal diária: considere se pode dedicar tempo para a criação de espaço para novos hábitos.

-> Tempo de prática formal previsto:
• sensivelmente 20 a 30 minutos diários, 6 dias por semana
Registo diário:
• cerca de 10 a 15 minutos por dia
Estudo com leitura ou visualização de vídeos:
• 1 a 2 horas semanais, dependendo do nível de interesse

-> Será entregue manual e certificado.

-> Inscrição obrigatória. Enviar e-mail para o seguinte endereço: reachmindfulness@gmail.com; ou SMS para o 917837323

-> Máximo: 12 participantes

-> Orientação: Ricardo João Teixeira. Psicólogo clínico e da saúde. Psicoterapeuta cognitivo-comportamental (e supervisor). Fundador do REACH – Centro de Mindfulness. Formador na área do mindfulness clínico, em diferentes contextos e com diferentes populações. Instrutor do programa MBCT, tendo como mentoras Patrizia Collard e Helen Stephenson (Reino Unido), segundo as orientações da ‘UK Network for Mindfulness-Based Teacher Training Organisation’.
Coordenador do serviço de psicoterapia e da consulta baseada em mindfulness na Clínica da Ordem (Porto), à qual se encontra associado o REACH. Professor convidado e investigador na área do mindfulness e regulação emocional na Universidade de Aveiro. Investigador no Instituto de Investigação e Formação Avançada em Ciências e Tecnologias da Saúde (IINFACTS, CESPU). Doutorado em Psicologia da Saúde pela Universidade do Minho. Pós-doutorado em Psicologia (área do mindfulness e terapias cognitivo-comportamentais de 3ª geração) pela Universidade de Aveiro. https://www.cienciavitae.pt/pt/821B-47E9-A9EC